Monitoramento do poder executivo: 5 passos para fazer com eficiência

Saiba quais são as proposições mais quentes da semana no Congresso Nacional
22 de novembro de 2021
Saiba quais são as proposições mais quentes da semana no Congresso Nacional
29 de novembro de 2021

A intersecção dos Três Poderes – composta pelo Executivo, Legislativo e Judiciário –, além de reforçar os princípios democráticos que regem o Brasil, permite que o ordenamento brasileiro coexista de forma harmônica e possibilita, ainda, a construção de uma sociedade mais plural – sendo cada um dos poderes de vital importância para o desenvolvimento e o funcionamento do país.

No caso do Poder Executivo, sua relevância consiste justamente no fato de ser o pilar responsável por executar as leis aprovadas pelas Casas Legislativas. Dessa forma, é possível compreender a atuação do Executivo como aquele que tornará a legislação palpável. Ou seja, cabe ao Poder Executivo tirar do papel os direitos e deveres dos cidadãos, assegurando-se de seu cumprimento, administrar os interesses da população e governar de acordo com a relevância pública. É por meio de sua atuação que a lei adquire caráter prático e funcional, voltado a serviço da população.

Para tanto, o Poder Executivo se divide em três níveis de governo: municipal, a cargo do prefeito, vice-prefeito e secretarias municipais; estadual, de responsabilidade do governador e vice-governador, bem como de secretarias; e federal, comandado pelo Presidente da República, como representante máximo do Poder Executivo, e vice-presidente. O poder contempla, ainda, os ministros – responsáveis, em sua maioria, pela gestão de uma pasta específica do governo, como Saúde, Economia e Educação, por exemplo.

Diante da relevância do Executivo, em função de suas atribuições – como a arrecadação de impostos, gestão de áreas consideradas como direitos fundamentais aos cidadãos, apresentação e vetos a projetos de leis, prestação de contas, nomeações de cargos, construção de planos de governo, entre outros –, acompanhar o trabalho desempenhado, monitorando todas as ações do Poder Executivo, é fundamental para as empresas.

Um dos exemplos a ser observado é a elaboração da Lei Orçamentária Anual (LOA). Isso porque após o planejamento do Poder Executivo, a proposta segue para o Congresso Nacional, no qual os parlamentares poderão influenciar o orçamento para adequá-lo às necessidades daqueles que representam. Outro importante aspecto se dá por meio da edição de Medidas Provisórias (MPs), elaboradas e publicadas pelo chefe do Executivo e consideradas como um poderoso recurso do Executivo. Por fim, há, ainda, a publicação de atos publicados no Diário Oficial da União (DOU) e nos Diários Oficiais dos Estados (DOE) e dos Municípios (DOM).

Ou seja, realizar o monitoramento do Poder Executivo é indispensável para que as organizações, sobretudo aos profissionais da área de Relações Institucionais e Governamentais (RIG), possam atuar de modo a conquistar os resultados esperados, uma vez que as companhias são diretamente impactadas pelas atividades exercidas.

Monitoramento do Poder Executivo com eficiência

Apesar de absolutamente necessário, o acompanhamento dos atos do Executivo precisa ser desempenhado de forma contundente. Para isso, é importante se atentar aos seguintes passos:

Acompanhar notícias em redes confiáveis

Diante da enormidade de conteúdos disponíveis, selecionar redes confiáveis é uma tarefa cada vez mais difícil e necessária – especialmente ao considerar os meios digitais. Por essa razão, é importante optar pelo acompanhamento em canais consolidados, cuja credibilidade pode ser atestada.

Utilizar fontes oficiais

Atualmente, ao considerar, sobretudo, o volume massivo de fake news, é essencial validar as informações obtidas em canais oficiais do Executivo. Esse processo simples pode fornecer maior segurança para uma tomada de decisão, por exemplo, uma vez que ao atestar a veracidade de informações que gerarão efeitos à organização, o profissional de RIG pode atuar em um plano estratégico que atenda às necessidades da empresa.

Fazer cadastro nos sites oficiais

A criação de uma conta nos portais oficiais do Executivo serve como uma identificação no meio digital e facilita a solicitação de serviços prestados pelo governo. Ao realizar o cadastro é possível, por exemplo, ter acesso a serviços digitais específicos estaduais e municipais, bem como de suas secretarias.

Acompanhar o Portal da Transparência

Sendo um site do governo federal, o Portal da Transparência permite que qualquer pessoa pesquise informações sobre a gestão pública – principalmente quanto à aplicação do dinheiro público no país. Os dados incluem orçamentos, receitas e despesas públicas, recursos transferidos, entre outros. Como os órgãos públicos precisam estar em conformidade com a legislação, especialmente a Lei da Transparência e a Lei de Acesso à Informação, toda a informação pública deve ser disponibilizada.

Acompanhar os Diários Oficiais

Estar atento ao que acontece diariamente a partir da atualização em redes de informações ou mesmo nos portais oficiais é de grande importância para as organizações. Contudo, buscar a informação diretamente na fonte pode permitir que os profissionais de RIG se antecipem em suas estratégias. Por isso, monitorar os Diários Oficiais é uma atividade que deve ser, obrigatoriamente, realizada. Para tanto, as organizações precisam contar com métodos eficientes, uma vez que este é um processo bastante trabalhoso e requer muito tempo dedicado dos profissionais responsáveis.

Monitoramento inteligente

Para que as empresas consigam criar uma estratégia sólida para monitorar o Poder Executivo é preciso, antes, investir em recursos que tragam facilidade e eficiência para o processo. Nesse sentido, o monitoramento automatizado surge como uma importante solução.

No caso dos Diários Oficiais, por exemplo, o acompanhamento manual requer uma rotina árdua de trabalho, com muitas horas de pesquisa para atingir poucos resultados. Com isso, as empresas perdem, muitas vezes, os esforços de suas equipes em uma atividade que pode ser realizada de maneira muito ágil, quando poderiam direcionar a atuação dos profissionais para processos mais estratégicos.

Ou seja, enquanto a busca por uma palavra-chave no Diário pode levar dias para ser concretizada com a eficiência desejada, ao automatizar o processo é possível obter resultados em segundos. Isso em função da utilização de inteligência artificial em soluções oferecidas por plataformas como a Inteligov. Com o monitoramento inteligente, as empresas têm acesso a uma quantidade de dados muito maior em muito menos tempo. Com isso, há aumento na eficiência, obtenção de dados de maneira estruturada, aprimoramento da gestão e organização da matriz de monitoramento, entre outros benefícios.

Com os serviços oferecidos pela Inteligov é possível, ainda, realizar o monitoramento legislativo e os normativos publicados pelas agências reguladoras. Dessa forma, as organizações conseguem concentrar todas as informações relevantes para o direcionamento de seu negócio em um único lugar. Conheça a plataforma e agende uma demonstração!

Assine nossa newsletter