Pensando a inovação nas Relações Governamentais

A Mulher da Casa Abandonada e a Cultura do Espetáculo
29 de julho de 2022
Combater a corrupção é assunto de RIG!
16 de agosto de 2022

Pensando a inovação nas Relações Governamentais. Este foi o tema do evento, realizado na última semana de julho, pela Inteligov. O bate-papo marcado para acontecer ao vivo, em uma noite de quinta-feira, revelou o lançamento do mais novo projeto da casa: a Comunidade Inteligov!

Beatriz Falcão, Community Manager & Policy Expert, foi a apresentadora do evento e iniciou a transmissão contando um pouco sobre a iniciativa. Segundo Beatriz, o propósito da Comunidade Inteligov é colocar em debate a inovação na área de RIG, não apenas a inovação no aspecto tecnológico, mas a inovação de uma forma humanizada. A ideia central da Comunidade é a de trazer as pessoas que estão iniciando na área para serem as protagonistas da discussão, pois são esses jovens que enfrentam as dificuldades de realizar o trabalho de base e de monitoramento.

Raphael Caldas, CEO da Inteligov, também participou do lançamento. Caldas conta que a fundação da startup aconteceu em 2014, mas que na época já estava com o carro na rua, experimentando soluções e fazendo contato com pessoas que pudessem contribuir com o projeto. Muita coisa mudou na área desde então. Caldas destaca que nos dias de hoje é quase impossível pensar em fazer RelGov sem uma plataforma de monitoramento. Ou seja, foi a partir do momento que ele identificou dores em comum nos profissionais de RIG que foi possível pensar em uma solução mais abrangente.

Sobre a Comunidade, o CEO enfatiza: “A inovação vai muito além da tecnologia e por isso foi importante criar essa Comunidade, para encontrarmos novas metodologias”. O fundador da Inteligov também destaca que uma das ideias da Comunidade é que ela não tenha um dono, mas que seja apropriada por quem vai participar, com o especial privilégio para quem está começando na carreira e para quem não tem tantos anos de experiência. “Os experientes também são muito bem-vindos, mas devemos dar protagonismo aos iniciantes, coisa que raramente acontece na área de RIG”, afirma.

Os influenciadores

Além de contar com Beatriz Falcão como gerente da comunidade, outras pessoas terão papel fundamental no projeto: os influenciadores. Eles serão responsáveis por auxiliar no engajamento das discussões, criar e indicar conteúdo e material que possa expandir o conhecimento sobre inovação. Além disso, poderão criar minicursos, orientar mentorias e orientar os próximos passos da iniciativa. Beatriz ressalta que a escolha por esses influenciadores se deu após uma observação que ela fez do mercado e percebeu, nesses jovens, um potencial criativo muito grande.

Tirza Meleah 

Tirza é administradora de mídias sociais e empreendedora na empresa Révélé. Atualmente, cursa Relações Internacionais na Universidade Católica de Brasília, onde dedica grande parte de sua jornada a projetos sociais, bem como o projeto “Mulheres que Prezam por Mulheres”, onde trata sobre questões de gênero, e no projeto “Jovens do Brasil”, visando a politização e instrução de novos profissionais. “Eu entrei para a área de RIG por conta de projetos pessoais. São projetos que conversam muito com o ideal da Comunidade Inteligov, que é o de ouvir quem sente as dores e qual é a mudança necessária, o que precisamos mudar de maneira palpável. 

“Fiquei muito feliz com o convite da Beatriz, pois não é todos os dias que temos o respaldo de gente que já tem experiência na área e que pode nos ajudar a fazer mudanças no sistema.” Tirza Meleah

Vinicios Pacheco

Vinicios é estagiário de Relações Governamentais e de Assuntos Regulatórios na IBM Brasil. Ele migrou do departamento de business/comercial para RIG por acreditar que é uma das únicas áreas onde é possível realizar mudanças efetivas, tanto na parte de business quanto na parte social e de construção de políticas públicas. 

Gabriel Marques

Gabriel está cursando o 6° semestre de Relações Internacionais pela Universidade Católica de Brasília, é Coordenador discente do Workshop RI UCB, voltado a temas de Relações Institucionais e Governamentais e empreendedor. Marques encontrou na área de RelGov um propósito e vê o mercado como um instrumento para a mudança social.

Gabriel Barreto

Gabriel é cientista político de formação, tem atuação profissional na área da política, experiência na Câmara dos Deputados e em consultoria. Atualmente integra o time de especialistas em RIG da Inteligov. 

“Vejo a Comunidade como um importante espaço para as pessoas que estão na base e que estão movendo as engrenagens do processo legislativo: apresentando sugestões de emenda, sugestões de projetos de lei, fazendo a interlocução direta com parlamentares e acompanhando o produto do trabalho do Congresso.” Gabriel Barreto

Marcella Pellegrini

Marcella é advogada e especialista em Direito Legislativo e atua como consultora de Relações Governamentais na BMJ Consultores Associados. Marcella diz que se encantou por Relgov por ser um mercado muito plural, com muitos profissionais de diversas formações, onde há muito para se aprender. Também acredita que a Comunidade será um espaço muito rico de troca e com oportunidades para encontrar soluções para muitos desafios, principalmente os que vieram com o pós pandemia. 

As dores do início da carreira

Beatriz chama a atenção para as dores sentidas pelas pessoas que atuam na área de RIG. Neste momento, Caldas conta que foi a partir de uma dificuldade de realizar o monitoramento que se interessou em codar (ação de codificar, ato de desenvolver códigos ou algoritmos). Dessa forma, poderia encontrar uma solução mais viável para o seu trabalho, ou seja, a partir de uma dor pessoal nasceu uma inovação e, em seguida, uma empresa, que hoje oferece soluções para outros profissionais que passam pelos mesmos problemas. 

Para Tirza, uma situação a marcou logo quando começou a procurar estágio na área de RIG. A estudante fez uma entrevista de emprego onde pediam por experiência em monitoramento e questionou: “O estagiário está sendo estagiário ou está sendo uma mão de obra barata na empresa?”. Essa é uma dor recorrente entre os jovens que estão à procura de uma oportunidade para iniciar a sua carreira.

Já para Gabriel Barreto, a dor que mais o incomoda é o descompasso entre a regra formal e a prática. Em linhas gerais, como é possível mostrar ao cliente que a regra pode ser modificada de acordo com a dinâmica da defesa dos interesses? Ou então, como chegar ao ponto de ter a compreensão aprofundada dos procedimentos internos? Barreto pontua que para ter essas respostas, os iniciantes precisam de alguém que os oriente: “Eu quero ser na Comunidade uma pessoa capaz de ensinar técnicas e procedimentos elementares que foram muito importantes na minha trajetória profissional”, conclui.

A pandemia também foi responsável por desencadear muitos desafios para os profissionais de RIG. Marcella afirma que foi preciso reaprender a construir o relacionamento com stakeholders de maneira virtual após o distanciamento social. Sua maior dor foi entender como seria possível engajar os tomadores de decisão e marcar reuniões com os parlamentares. 

“Eu tive a sorte de ter pessoas guiando a minha carreira, agindo como facilitadores. É isso que eu tenho como expectativa na Comunidade, de ser alguém que ajude na carreira de outro profissional que está iniciando.” Marcella Pellegrini

Outro problema citado foi a falta de comunicação entre o mercado e a universidade. Gabriel Marques pontuou que a universidade pode deixar o estudante muito distante da prática.

“O jovem profissional fica sem ideia de como iniciar a construção de relacionamentos profissionais, como conseguir estágio e como encontrar projetos para participar.”

Gabriel Barreto ainda complementou a ideia, afirmando que a falta de conexão entre ensino e mercado de trabalho fica ainda mais evidente fora do eixo Brasília – São Paulo, e espera que a Comunidade ofereça mais oportunidades de conexões fora da “panelinha”. 

A falta de inclusão também foi uma dor citada. Pacheco conta que não enfrentou as mesmas complexidades relatadas pelos colegas, porém, destaca a falta de representatividade no setor: “Ainda é difícil encontrar pessoas negras na área de RelGov, principalmente em cargos de liderança. Como único profissional negro no departamento a nível América Latina, carrego a responsabilidade de abrir mais portas para as minorias”, finaliza.

“A pluralidade e as vivências diversas acabam trazendo novos caminhos, pois a diversidade traz inovação.” Vinicios Pacheco

A Comunidade Inteligov é um espaço para você que atua em Relações Institucionais e Governamentais e tem o desejo de inovar na maneira de se fazer RelGov no Brasil. Trata-se de um espaço 100% digital, seguro e gratuito. 

Caso queira mais informações sobre como a Inteligov pode te ajudar a encontrar soluções inovadoras, agende uma demonstração!

Assine nossa newsletter